Como Serão as Viagens para EUA a partir de dezembro?

Divulgado pela Brand USA, em um dos seus mais recente levantamentos feitos sobre a intenção de viagens internacionais para os Estados Unidos, de acordo com o órgão, a maioria dos viajantes tem a intenção de voltar a destinos internacionais no verão de 2021 para o Hemisfério Norte (de junho a setembro). Os Estados Unidos, fez seu levantamento, e continuam com o mesmo share de intenção de viagens que em 2019, menos para australianos e alemães, que diminuíram as suas intenções de visitar o país.

Pelo estudo, apresentado também em um webinar, os brasileiros querem voltar a viajar aos Estados Unidos já em dezembro deste ano, com boa intenção também em janeiro e fevereiro e índice mais alto em junho de 2021, como os demais países pesquisados.

Os Estados Unidos têm mais de 20% de share na intenção de viagens internacionais de brasileiros, mais que o dobro dos cerca de 9% da média de 2019.

Os motivos que levarão os brasileiros a escolher seu próximo destino internacional incluem 1) conhecer outras culturas; 2) se manter na zona de conforto (ou seja, visitar destinos já conhecidos); 3) descansar e relaxar; 4) visitar atrações únicas; 5) ter contato com a natureza; 6) fazer viagens ligadas a seus hobbies, como esportes, música e gastronomia; e 7) ter algum senso de aventura na viagem.

Entre os motivos para não viajar internacionalmente, os três primeiros são ligados à pandemia (mede de contaminação e restrições de países, por exemplo) e o quarto é a questão econômica.

O estudo destaca que os casos de covid-19 estão desacelerando na China e Coreia do Sul, mas aumentando no Brasil, Índia, México, Japão e Austrália. Na Europa os casos estão estáveis e as viagens intra-europeias devem retornam primeiro.

A capacidade aérea para os Estados Unidos continua reduzida internacionalmente, com a queda para o Canadá ultrapassando 90%. Para outros destinos há alguma melhora, mas muito modesta, ao contrário do México, que viu os voos para os Estados Unidos aumentarem significativamente.

NÚMEROS
No ano passado, os visitantes internacionais nos Estados Unidos foram 79,2 milhões, gerando US$ 195 bilhões em gastos. A previsão para 2020 é uma queda de 50 milhões na quantidade de turistas estrangeiros (28,9 milhões) e de 75% nos gastos (US$ 49 bilhões).

A recuperação será lenta, chegando a 73,7 milhões de visitantes internacionais em 2023, ainda 7% a menos que 2019. Os gastos chegarão, também em 2023, a US$ 162 bilhões, 17% abaixo dos números obtidos no ano passado.

As perdas do Turismo dos Estados Unidos com a pandemia chegarão a US% 974 bilhões até 2023, sendo US$ 620 bilhões com o doméstico, que só vai se recuperar em 2024, chegando a números de 2019, e US$ 354 bilhões, ou um terço, das chegadas do Exterior.